REVALIDA – Inscrições confirmadas para o exame aumentam em 114%

Inep registra 8.102 médicos a mais em relação à última edição do exame, em 2017. Brasileiros são maioria entre os profissionais que vão fazer a prova

O número de inscrições confirmadas para o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2020 aumentou em 114% comparado à última edição, em 2017. Responsável pela aplicação do exame, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) confirmou 15.482 inscritos para esta edição, enquanto 7.380 cadastros foram aprovados em 2017. 

Ao todo, 16.547 médicos se inscreveram para a edição 2020 do exame, o que revela um índice de 93,5% de confirmações. Em 2017, 8.015 profissionais se cadastraram, no total. Desses, 92% confirmaram as inscrições. O número de cidades onde as provas serão aplicadas também aumentou, consideravelmente, em relação à edição anterior. Em 2017, foram 10 municípios; em 2020, serão 13.

Dos profissionais de medicina que vão participar do Revalida 2020, 51,8% (8.016) são mulheres e 48,2% (7.466), homens. O Inep registrou, ainda, médicos de 57 nacionalidades. Brasileiros (10.720), cubanos (2.700) e bolivianos (980) correspondem às três nacionalidades com mais inscritos. Por outro lado, a autarquia confirmou a inscrição de profissionais com diplomas originados por 63 países distintos. Bolívia (7.154), Cuba (3.928) e Paraguai (2.400) deram origem à maioria dos certificados.

Provas – As provas da primeira etapa do Revalida 2020 serão aplicadas no dia 6 de dezembro. A Matriz de Referência estabelece duas etapas, em que cinco grandes áreas da medicina são avaliadas: ginecologia e obstetrícia, medicina clínica, cirurgia geral, pediatria e medicina de família e comunidade, abordadas de forma interdisciplinar. As referências do Revalida são os atendimentos no contexto de atenção primária, ambulatorial, hospitalar, de urgência, de emergência e comunitária, com base na Diretriz Curricular Nacional do Curso de Medicina, nas normativas associadas e na legislação profissional. O objetivo é avaliar as habilidades, as competências e os conhecimentos necessários para o exercício profissional adequado aos princípios e necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS).

Segunda etapa – Somente os aprovados na primeira etapa podem participar da segunda etapa. Uma novidade desta edição é que, se o médico formado no exterior reprovar na segunda etapa, poderá se reinscrever diretamente nessa fase, nas duas edições consecutivas. Anteriormente, era necessário realizar todo o processo desde o início. Cronograma, diretrizes e procedimentos da segunda etapa serão publicados, posteriormente, em edital próprio.

Revalida – O exame é aplicado pelo Inep desde 2011 e tem o objetivo de verificar a aquisição de conhecimentos, habilidades e competências requeridos para o exercício profissional adequado aos princípios e necessidades do SUS, em nível equivalente ao exigido dos médicos formados no país. A revalidação do diploma é responsabilidade das universidades públicas que aderirem ao instrumento unificado de avaliação representado pelo Revalida.

Fonte: INEP - Assessoria de Comunicação do Inep

Deixe um comentário

*

captcha *