Regra de pontuação no Enem para acesso ao Fies divide opiniões

Câmara Notícias – 21/05/2015 – 12h17

         O deputado Danrlei (PSD-RS) questionou há pouco se a exigência dos 450 pontos no Enem como pré-requisito para ter acesso ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), instituída no fim do ano passado, não vai dificultar o ingresso no programa de alunos mais carentes. Ele participa de audiência pública na Comissão de Educação.

         O presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, Antônio Idilvan, não considera o critério excludente, já que 4 milhões de alunos atingiram essa pontuação. Ele observou que 92% dos participantes do programa têm renda de até 2 e meio salários mínimos per capita.

         Já diretor executivo da Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior, Sólon Caldas, acredita que a regra exclui os menos favorecidos do sistema. Segundo ele, quem tira esta nota é o aluno do ensino médio particular. Assim, com a manutenção da regra, ele acredita que o Fies vai financiar o aluno da classe A e B, e não o aluno da classe D e E, que vem da escola pública.

         “O ensino médio é deficiente. Não é justo penalizar os alunos das classes mais baixas”, concordou o consultor da Associação Nacional dos Centros Universitários, Raulino Tramontin.

         A coordenadora nacional do Movimento em Defesa do Fies, Jullienne Cabral, também discorda da regra. Para ela, o critério privilegia quem tem as melhores notas e quem tem as melhores notas não são os alunos mais carentes.

Deixe um comentário

*

captcha *