Mais oferta de cursos a distância

Fonte: Valor Econômico

Com as novas regras de abertura de polos de ensino a distância, a participação dos dez maiores grupos de ensino que hoje detêm 79% desse mercado cairá para 52% em 2018, considerando que as instituições abram 25% dos polos do qual têm direito. Em 2022, esse percentual recua para 38% e daqui a dez anos chegará a 35%, segundo projeções do Semesp, sindicato do setor.

De acordo com dados da consultoria Hoper, os dez maiores grupos de ensino a distância em 2015 eram Unopar, Uniderp (ambos da Kroton), Unip, Uninter, Uniasselvi, Unesa (Estácio), Unicesumar, UniSEB (Estácio), Unimes e Ceuclar.

Há duas semanas, o Ministério da Educação (MEC) divulgou o número de polos de ensino a distância que cada faculdade poderá abrir por ano. Estima­se que pelo menos 10 mil novas unidades poderão ser abertas, o que representa o dobro do volume atual.

Se as escolas abrirem todos os polos autorizados, a fatia dos dez maiores grupos cai para 32% já em 2018. Porém, especialistas do setor acreditam que não haverá uma abertura desenfreada de polos por falta de demanda e necessidade de altos investimentos.

Deixe um comentário

*

captcha *