Em visita ao Inep, ministro conhece desafios da autarquia

Fonte: MEC – Assessoria de Comunicação Social

Os desafios do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para 2018, como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), o Censo Escolar, entre outros, foram apresentados ao ministro da Educação, Rossieli Soares, nesta quinta-feira, 19, em Brasília, durante a visita oficial feita pelo chefe da pasta às instalações da autarquia vinculada ao MEC.

Na avaliação de Rossieli Soares, o Inep tem processos fundamentais para o Brasil. “Não podemos deixar de falar do Enem, mas temos o Enade, que avalia as instituições de ensino superior, você tem processos como o Censo Escolar, que são basilares para a formação, criação e monitoramento de políticas públicas”, explicou o ministro. “O primeiro princípio é o de continuidade e de realizar aquilo que está planejado dentro do ano de 2018, fazer o planejamento de 2019 e garantir que esses processos sejam realizados com a mesma competência que o Inep sempre teve”, completou.

Durante esta semana, além do Inep, Rossieli fez visitas oficiais a outras autarquias ligadas à pasta, como o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). “O MEC é um mundo gigantesco e que tem sido tocado com muita competência. Temos uma equipe qualificada”, afirmou o ministro. “Tem crescido em todos os seus aspectos, melhorado muito a eficiência na gestão, o que é importante. Isso é nítido em todos os lugares, em todos os setores, em todas as autarquias e no próprio MEC”, finalizou.

A presidente do Inep, Maria Inês Fini, lembrou que Rossieli Soares, antes de assumir a pasta, atuava como secretário de Educação Básica (SEB) do próprio MEC, e se aproximou muito da diretoria de avaliação de educação básica e do censo de educação básica. “Mas o Inep tem inúmeras outras riquezas, não só de pesquisas, como o próprio censo ampliado e a nossa diretoria de avaliação do ensino superior, além de um grande trabalho de operações para que tudo aconteça. Assim, nós o convidamos para que ele pudesse vir conhecer um pouco mais do Inep e toda a extensão do nosso trabalho”, reforçou Maria Inês Fini.

 

 

 

Deixe um comentário

*

captcha *