Capes premia pesquisadores brasileiros com R$ 140 mil

Fonte: Revista Gestão Universitária

Acontece na tarde desta quarta-feira, 13, a cerimônia de entrega do Prêmio Vale-Capes de Tecnologia e Inovação – Edição 2017. Promovido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), autarquia vinculada ao Ministério da Educação, o prêmio paga R$ 100 mil para pesquisador experiente e R$ 40 mil para jovem cientista, além de bolsa para a realização de pesquisas. Na edição 2017, o prêmio destacou pesquisadores cujos trabalhos tenham aplicação efetiva na resolução de problemas reais relativos as áreas de ecologia e conservação da natureza.

Na categoria Pesquisador Emérito, o escolhido foi o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Jorge Rubio Rojas. Lucas William Mendes, da Universidade de São Paulo (USP), foi selecionado na categoria Jovem Pesquisador. A premiação será na sede da Capes, em Brasília.

Premiação ­– Na categoria Emérito, o vencedor recebe da empresa Vale um auxílio de R$ 100 mil. A Capes também vai conceder ao premiado uma bolsa equivalente à de pesquisador visitante do exterior ou à de estágio sênior no exterior. Para o Jovem Pesquisador, será concedido auxílio de R$ 40 mil pela Vale. O premiado também receberá uma bolsa análoga à de Pesquisador Visitante do Exterior, paga pela Capes. A premiação considerou a produção dos pesquisadores.

Foram avaliados itens como artigos científicos, livros e capítulos, patentes e orientações em cursos de pós-graduação. Os critérios de premiação foram originalidade do trabalho e relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social e de inovação.

Premiados – Lucas William Mendes, jovem pesquisador com apenas três anos de doutorado, apresenta produção científica relevante com mais de 20 artigos publicados e 297 citações. Suas contribuições se direcionam para a agricultura sustentável.

Jorge Rubio Rojas, Pesquisador Emérito, foi indicado por unanimidade pelo Grande Juri. É pesquisador com carreira sólida, membro da Academia Brasileira de Ciências e pesquisador 1A do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Fundou e coordenou o Laboratório de Tecnologia Mineral e Ambiental – (LTM) da (UFRGS). Publicou mais de 250 artigos científicos, dois livros e 15 capítulos de livros. Desenvolveu diversas técnicas e produtos tecnológicos (incluindo cinco patentes, quatro técnicas e quatro processos) na área de conservação da natureza, via tratamento de águas poluídas e efluentes industriais, tanto em áreas urbanas como minerais e industriais.

Conheça o Prêmio Vale-Capes de Tecnologia e Inovação – Edição 2017

Assessoria de Comunicação Social, com informações da Capes – MEC (12.12.2017)

Deixe um comentário

*

captcha *