Anaceu lança obra em comemoração aos vinte anos dos Centros Universitários

Os Centros Universitários completam em 2017 duas décadas de sua regulamentação. Para celebrar a data, a Associação Nacional dos Centros Universitários (Anaceu) publicou obra comemorativa que resgata a trajetória de sucesso e as contribuições dessas instituições para a educação superior do Brasil. O lançamento foi realizado no dia 03 de outubro, em uma solenidade no Conselho Nacional de Educação (CNE). O evento reuniu reitores de Instituições de Ensino Superior de todo o País, dirigentes de Centros Universitários e autoridades da educação superior brasileira.

Em doze capítulos, a publicação registra memórias, causas e pautas das instituições e consolida suas conquistas. “Esse livro é o fechamento de mais um ciclo da Anaceu e dos Centros Universitários. Entre os autores, estão profissionais que se empenharam na criação dos primeiros Centros e que hoje trabalham com a nova realidade das instituições, que ofertam de cursos de medicina a programas de mestrado e doutorado”, complementa Jean Chamon, vice-presidente do Conselho Deliberativo da Anaceu.

Para o organizador da obra Arthur Roquete de Macedo, membro do CNE, a edição documenta a atuação dos Centros Universitários e traz o debate de problemas de grande relevância para a educação brasileira. “É uma obra de grande densidade, que fala sobre o atual momento do ensino superior e que certamente terá repercussões futuras”, afirma.

História –A regulamentação dos Centros Universitários foi um grande avanço para a educação superior nacional, pela inovação, excelência de ensino, ampliação da oferta e atividades de desenvolvimento econômico e social das comunidades em que se inserem. Hoje, o Ministério da Educação tem 185 Centros Universitários credenciados, que atendem 1,3 milhão de alunos em toso o País.

Wilson de Matos Silva, reitor do UniCesumar e conselheiro da Anaceu, afirma que a regulamentação dos Centros foi um ganho inquestionável. Segundo o reitor, havia uma grande distância entre as faculdades, sem autonomia para criação de programas de ensino, e as universidades, com alto custo operacional, devido às atividades de ensino, de pesquisa e de extensão em várias áreas do saber. “Os centros universitários vieram ocupar um espaço, com excelência no ensino, autonomia e inserção científica. Esses 20 anos, marcam a história do País, uma vez que educação de qualidade representa um bem maior para o povo. Representa resgate de dignidade e justiça social”, afirma.

O presidente da Anaceu, Arthur Sperandéo, corrobora com a opinião. “Foi necessário muito trabalho, dedicação, qualidade e perseverança daqueles que primeiro se transformaram em Centros Universitários, e a Anaceu sempre esteve a frente dessa luta. Hoje, essa tipologia contemporânea está chegando a maturidade. Passou por todos os marcos regulatórios e por todos os processos avaliativos implementados pelo MEC e é um sucesso sob ponto de vista educacional, acadêmico e de integração regional, tendo modernizado todo o processo de estruturação da educação superior brasileira”, comemora.

Assessoria de Comunicação ANACEU

Deixe um comentário

*

captcha *